CAPTADORES DA GIBSON - "RESUMÃO"

Olá,

Tenho recebido várias dúvidas à respeita dos captadores da Gibson, assim resolvi postar essa tabela com as especificações de fábrica de cada um deles. Acredito que possam ser bem úteis.

Abraço a todos!



EPIPHONE LES PAUL ACE FREHLEY BUDOKAN CUSTOM - Fotos enviadas

PROPRIETÁRIO: Àlvaro


         " A guitarra é uma “signature” do guitarrista Ace Frehley, membro original da banda Kiss. Foi usada pela primeira vez na lendária  série de shows que o Kiss realizou no Budokan Hall, Tokyo, em 1977. A Epiphone produziu somente 1000 guitarras deste modelo. Fui contemplado com a de número 527 desta série.

O visual da guitarra é muito bonito. Todavia, ressalto que a minha guitarra veio com alguns poucos e minúsculos defeitos de acabamento (somente vendo de bem perto para detecta-los). O corpo da guitarra é de mahogany com top de três peças em hard maple. O braço é feito de de 3 peças de mogno e a escala é de ébano com marcações em madrepérola e trastes medium jumbo.

 Dei uma rápida pesquisada na internet e este tipo de contrução foi muito utilizado pela Gibson na década de 70. Inclusive, a versão Gibson desta guitarra é feita quase da mesma forma, porém com as costas feitas em quatro peças de madeira (mahogany, maple, mahogany, maple). No caso da Epiphone, as costas são feitas apenas em mahogany.

 A guitarra é muito confortável. Adorei o braço em "C" Slim Shape. Substituí o encordoamento original (de baixa qualidade) por Ernie Ball Cobalt 0.10 – 0.46. A captação (além da madeira, é claro) - dois humbuckers DiMarzio PAF (braço e meio) e um DiMarzio Superdistortion, proporcionam um timbre ideal para o hard rock e metal clássicos. Por exemplo: Kiss, AC/DC, Judas Priest, Black Sabbath e similares.

 Para quem gosta de um som mais limpo, ou toca vários estilos musicais diferentes, não recomendo. Como gosto de tocar basicamente hard rock e heavy metal a guitarra me atendeu perfeitamente. Outro diferencial deste modelo são as tarraxas Grover peroladas estilo banjo.

 Por fim, a guitarra vem com case e com um certificado exclusivo com foto e autógrafo (reprodução) do Ace Frehley."

Muito obrigado pela contribuição!

Abraço a todos!


 

Epiphone Les Paul PLUSTOP PRO modificada com Seymour Duncan SLASH e Gibson parts

Olá!

      Fotos da minha Epiphone Plustop após modificações.
      Colocando tudo na ponta do lápis (peças, impostos, luthier, tempo), talvez tenha pago o mesmo preço de uma Gibson Tribute no final. Mas mesmo assim, fiquei muito satisfeito com o resultado. Essa Epiphone, eu já havia comprado com o intuito de fazer grandes modificações, pois procurei não alterar muito minhas Epiphones Custom. Nestas realizei apenas a troca de trastes (Inox mais grossos) e captação (Seymour Duncans), o que foi suficiente para torná-las guitarras sensacionais.
     Desde o início, tive em mente uma Les Paul não muito cara, para que eu pudesse investir naquilo que mais me agradasse. Por exemplo, diferente das minhas Custom, queria um belo tampo de Flamed Maple e acabei pegando o modelo PLUSTOP pela sua maior graduação (AAA) e acabamento Sunburst (ausente na minha Tribute). A Epiphone tem corpo sólido enquanto minha Gibson Tribute `50 humbucker é Chambered (considere a diferença de "qualidade" entre mesmas madeiras). Na captação, escolhi a mesma que usei na Tribute `50, o set da Seymour Duncan Alnico II PRO SLASH signature. 
      Meu Luthier: "Com certeza melhor que muita Gibson!!". E não posso negar que, após gastar um tempo com ela, acabei concordando. Comparando com ela original, meus ouvidos, olhos e mãos, certamente se depararam com outra guitarra.

      O que foi feito:

- Set Alnico II PRO Slash signature - Seymour Duncan
- Knobs GIBSON Gold.
- Escudo GIBSON creme.
- Anel dos Knobs GIBSON (estilo das Les Pauls antigas).
- Chave seletora dos captadores GIBSON
- Tarraxas estilo Kluson vintage GROVER
- Nut GRAPH TEC
- Plaqueta do Truss Rod do SLASH.
- Troca de trastes INOX
Vejam mais postagens com informações e opiniões sobre esse guitarra em:

ÍNDICE: MINHAS GUITARRAS

      
Abraço a todos!



 

Gibson Les Paul Traditional Mahogany Satin - Foto enviada

Olá!

Mais uma Gibson para a coleção do FERNANDO

 

Abraço a todos !


 

 


Venda de equipamentos

Olá!

      A princípio, o objetivo desse Blog é apenas a troca de informações sobre guitarras. Não havendo intenção de me utilizar desse espaço para comércio. No entanto, sempre procuro ajudar todos os interessados e faço algumas postagens como anúncio de equipamentos que alguns queiram vender. Nesse caso, o Valmir já contribuiu várias vezes com informações e fotos para o Blog. Assim, posso estar beneficiando aqueles que possam estar a procura de algum desses produtos.

Observação: Não participo nem me beneficio de nenhuma forma da negociação. 
Dúvidas, entrem em contato direto com o proprietário: 
VALMIR - valmirmtrindade@ig.com.br

Abraço a todos!

Vendo - Amplificador Bogner GoldFinger 45

Vou falar o que deste ampli? Que é um milhão de vezes melhor que qualquer Marshall na mesma categoria!!! Quando você toca uma obra prima desta pela primeira vez não quer largar mais. Tanto pelo timbre quanto pela versatilidade do que ele oferece. É um ampli magnífico que tem tudo e mais um pouco que qualquer Marshall HotRodded possui. Tem uma aparência super retro. Lindo mesmo. Tem excelente volume e um headroom imenso. Tem chave de atenuação para você tocar em potências reduzidas (2/3, 1/2 e 1/3). Traduzindo: você pode tocar nele com 45, 33, 22 e 15W. Melhor volume master no mundo não tem. Preço: R$8.600,00. 

Vendo - Guitarra Jackson Kelly
 Preta, 1994 "Made in Japan": tem caps mini (neck) e humbucker (bridge) ambos da Seymour Duncan. A alavanca é da Schaller. Preço:  R$2.000,00 (gastei aproximadamente R$1.300,00 só em modificações).

Vendo - Baixo Fender Precision Bass
Sunburst, quatro cordas, "Made in Mexico". Tudo o que tenho pra falar deste modelo é que já tinha testado alguns modelos "Made in Mexico" e não tinha gostado de nenhum. Resolvi então procurar um "Made in USA" mas esbarrei num problema: achei todos absurdamente caros (custo/benefício). O vendedor então me falou: vou te trazer um baixo que tenho certeza que você vai comprar. Chegou com esse. E o som? Para mim muito "USA". Perguntei: cara, porque este "está" diferente dos outros "Made in Mexico" que testei? Nem ele soube responder!!! Rsrsrsrs... Preço: R$3.500,00.

Vendo - Amplificador Fender Cyber Twin
Combo com dois falantes de 12", 130 watts e estéreo. Quem nunca viu este híbrido (válvula somente no pré) vai se surpreender. Fala MUITO alto. Com certeza muitos aqui conhecem o sistema de afinação Min-E Tunes das Gibson mais novas, certo? Então este ampli traz algo parecido no conceito: depois de gravar um preset, se quiser voltar a tocá-lo novamente, basta apenas um apertar de botão para que os demais controles sejam modificados. Preço: R$4.500,00 (paguei bem mais do que estou pedindo).

Gibson Les Paul Tribute 60 (Goldtop) 2011 ENVERNIZADA!! - Foto enviada


PROPRIETÁRIO: Márcio

 

"Estou lhe enviando uma foto da minha Les Paul Tribute 60 2011. Sempre fui Strateiro e achava que a Tribute não era legal, e sempre achei que com ela vinha com P-90 que não tinha o som de Gibson. Ledo engano, o som é Gibson, o som do P-90 é lindo e é som de Les Paul. Toco Pop Rock, Rock Classico, Blues, MPB e até coisas mais pesadas. Meu Luthier de confiança (Grande Gustavo Lage, o rei das Les Paul) deu uma blindada bacana e quase não tem hum, mesmo usando o hi-gain do meu Sansamp Classic, no meio do som rolando a vera não ouço hum. Como podem ver na foto, eu pedi para o luthier envernizá-la. Na verdade, ela não tem um acabamento igual ao das Gibsons mais caras, a proposta dela ficar velha rápida é legal. Porém quando ela começou a desgastar a pintura, o suor começou a querer escurecer o maple. Corri e meu luthier fez um refinish (estou falando, ele é o rei das les paul e o padrão de pintura é Gibson) a Guitarra ficou linda e parece uma guitarra bem mais cara. Com relação ao Som, este lugar que eu tirei a foto (me desculpem a bagunça) é na praia de Geribá Búzios- RJ. Eu estava tocando clássicos do Rock e no fim da tarde, o grande Roberto Frejat passou dando uma corridinha de final de tarde e fez questão de perguntar que guitarra era aquela pois curtiu muito o som . Quando der mando mais fotos."  

                      Parabéns pelo "trabalho", sua Tribute ficou linda mesmo!!! 
Além de ter sido uma ideia sensacional e realizada por uma pessoa habilitada. 
Parece uma Custom...
Vou pesquisar a respeito ! hehe

Abraço a todos!

Finalmente !!

Olá!

       Após mais de 3 meses de espera, consegui reunir todas as peças para o upgrade da minha Epiphone PLUSTOP. Foram todas compradas no Ebay e não paguei imposto, com exceção da captação do SLASH.

           Vejam as outras postagens a respeito:      

"Tunando" minha Epiphone PLUSTOP PRO

Epiphone Les Paul Standard PLUSTOP PRO 2013 - Minha Impressão 

 

Abraço a todos !

 


Gibson Les Paul Tradicional 2011 (Wine Red) Ltd Edition - Minha Impressão

Olá!

    Minha impressão, pelo menos inicial, dessa guitarra eu já publiquei na postagem a respeito das madeiras utilizadas pela Gibson USA, mas essa é uma guitarra que vale a pena eu falar um pouco mais por causa de algumas de suas particularidades.
     Vou resumir sua história: Após comprar minha Les Paul modelo TRADICIONAL 1960 ZEBRA (Transred), fiquei maravilhado com a guitarra (beleza, conforto, timbre, identidade), além de ter pago menos que um modelo Standard ou Tradicional convencional. Quando fui comprá-la no Goldtop, o vendedor acabou me "convencendo" a levar na cor TRANSRED por um pouco mais. O diferencial é que a pintura desse modelo não vem com Hi-gloss, sendo a Transred uma exceção, por isso seu valor é um pouco maior que das outras cores...
      Após algum tempo, comprei o Kit de captadores CUSTOM SHOP do Joe Bonamassa, que foram limitados a 1959 (referência ao timbre das Les Pauls `59) unidades. Instalei esses captadores na minha Gibson Studio Joe Bonamassa signature e adorei o resultado. Não consegui segurar minha ansiedade e sabendo que eram limitados, acabei encomendando mais outro Kit pelo Ebay, mesmo sem ter uma guitarra para usá-los. Sempre procuro manter as diferentes captações originais das minhas Les Pauls da Gibson...
    Quando os captadores chegaram, me vi sem opção para instalá-los. Resolvi guardar porque também não queria "queimar" esse Kit Custom Shop com qualquer guitarra. Com o tempo, comecei a pesquisar sobre as opções mais adequadas ao meu propósito, não queria algo muito caro já que iria trocar a captação original, mas gostaria de uma Les Paul que fosse "bonita" e de qualidade. Pensei por um tempo nas Epiphones Plustop PRO, pois os modelos Studio convencionais da Gibson estavam bem caros e com espera de entrega de alguns meses. Queria algo um pouco "melhor" que as Tributes por causa do conforto e perfil do braço...
      Um certo dia, tocando com a minha Tradicional 1960, pensei: que timbre ! Os `57 Classic sempre foram meus captadores da Gibson favoritos, mas nesse momento imaginei como o timbre dessa Tradicional "casaria" com o som dos captadores do Joe Bonamassa. Além de ter o charme de uma 1960, um perfil de braço do meu gosto e um preço não exagerado (na época custava o mesmo que uma Studio...). Assim, decidi por comprar outra Tradicional 1960, mas mudaria a cor para o Goldtop.
        Liguei na TWO TONE e fiquei sabendo que eles tinham justamente a que eu queria, no Goldtop. Reservei a guitarra e me programei quanto ao pagamento. Quando cheguei na loja, fui pegando a guitarra na caixa de papelão sem mesmo abrir (já conhecia esse modelo) e me dirigi direto para o caixa. Nesse curto caminho, me deparei com essa Tradicional 2011 que me chamou a atenção pela beleza do tampo. Quando perguntei sobre o preço, descobri que só custava uma pouco mais que a Gibson que eu estava levando. Perguntei por que e me disseram que ela tinha uma marca na parte de trás devido a uma queda na loja mesmo, por isso do preço abaixo do "esperado". Fora esse "detalhe" a guitarra estava NOVA. Resolvi ligar e gastei um tempo comparando essas duas guitarras; no final, para a minha surpresa, a Tradicional me agradou mais que a 1960 e acabei mudando a minha compra, mesmo pagando mais que o planejado. Ainda tenho o Kit do Bonamassa guardado que acabei nem usando.
        Tive que contar toda essa história, pois realmente essa guitarra me "intriga" (risos). Pensem comigo, ambas têm, teoricamente, o corpo com a mesma madeira, a mesma construção, o mesmo sistema de Alívio de Peso (Tradicional) e principalmente a mesma captação (`57 Classic/Plus), além de terem sido produzidas pela mesma fábrica no mesmo ano...
          Ao primeiro contato, percebi que a Tradicional é mais pesada (4,2 Kg) que a 1960 (4,0 Kg). Mas eu pergunto, não é o mesmo sistema de Alívio de Peso? Digo isso pois algumas edições, principalmente as limitadas, podem ter algumas particularidades como um corpo sólido, sem o Alívio de Peso... As Tradicional 2014, por exemplo, terão corpo sólido, característica que muitos preferem e consideram como as "verdadeiras" Les Pauls. Isso explicaria também a diferença de timbre entre elas, a Tradicional tem um timbre mais encorpado, a 1960 já teria um som mais brilhante e até meio estalado e ressonante. Não que a Tradicional tenha uma som "abafado" (de forma alguma), pois eu acho que ela consegue manter boa parte do brilho dos ´57 Classic adicionando um pouco mais de corpo "aveludado". Minha impressão é que a Tradicional tem um som mais "moderno" e a 1960 mais vintage/clássico.
          Outra explicação para a diferença de peso seria a qualidade e seleção das madeiras do corpo, sendo utilizada uma madeira "melhor", mais densa e encorpada. Isso foi o que me disseram na TWO TONE..
         Difícil ter muitos detalhes sobre essa minha Tradicional, não tem nada no site oficial apenas alguns proprietários que dizem algo em foruns. Parece que é um modelo Premium (pelos desenhos no tampo) e de edição limitada, mas minha dúvida quanto a presença ou não do sistema de Alívio de Peso (corpo sólido?) ainda não sei. Canso de ficar batendo na madeira tentando identificar algo, mas não dá para precisar, só com raio x mesmo...
         De resto uma Les Paul sensacional, eu pessoalmente gosto mais dos modelos Tradicional que das Standards, devido a sua beleza e timbre que me agradam mais que dos outros modelos. O perfil de braço estilo 50, apesar de ser mais grosso e arredondado é bem confortável e ágil (achei bem diferente das Tributes, também com perfil 50...); gostei tanto do timbre da guitarra que o tipo do perfil se tornou um mero detalhe.
        
     Abraço a todos!